Pets no carro: medidas de segurança para andar com animais

Eles já fazem parte de muitas famílias pelo Brasil afora, mas será que você sabe como transportar seu pet no carro em segurança? Confira nossas dicas!

Seja para uma viagem de férias, um passeio no parque uma visitinha à casa da vovó, é preciso considerar algumas regrinhas para andar com pets no carro sem colocar os peludos, nem você, em risco.

Para começar a conversa é preciso esclarecer: cabeça na janela, nem pensar! A gente concorda que é fofinho ver o seu filhote com aquela cara feliz de quem está curtindo muito o passeio, mas apesar de proporcionar uma sensação prazerosa para os animais, o vento provocado pelo movimento do carro pode ser prejudicial à saúde deles, causando dor de ouvido e algumas irritações nos olhos, por exemplo.

Além disso, o Código Brasileiro de Trânsito proíbe o transporte de animais soltos, seja no interior ou em áreas externas do veículo. De acordo com a Lei nº 9.503 de 23 de Setembro de 1997, ela possui alguns artigos que se aplicam ao transporte pets no carro. São eles:

Art. 235. Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados:

  • Infração – grave;
  • Penalidade – multa;
  • Medida administrativa – retenção do veículo para transbordo.

Art. 252. Dirigir o veículo:

II – transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas;

  • Infração – média;
  • Penalidade – multa.

Art. 169. Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança:

  • Infração – leve;
  • Penalidade – multa.

Se um bichinho está solto no carro, ele oferece risco ao motorista, podendo tirar a atenção do mesmo da direção. Seja andando de um lado para o outro, pulando no colo do motorista – ou até mesmo escapando pela janela -, podendo causar acidentes e, por isso, entram nesse artigo de lei, gerando uma multa de R$ 53,20 e três pontos na carteira.

Mas não se desespere, hoje o mercado de artigos para pets oferece diversos equipamentos que auxiliam no transporte de pets no carro deixando tutores e peludos mais seguros e confortáveis.

Como andar com pets no carro em segurança

A primeira coisa para ter em mente é que o banco traseiro é o lugar mais indicado para transportar os seus pets no carro, pois, em caso de acidente, o impacto será menor. Além disso, é importante escolher um acessório de segurança indicado para o porte do seu bichinho, a fim de que o animal não fique solto.

Mas, antes de sair de casa, lembre-se de identificar o animal. Não importa se será um passeio curto, uma ida ao veterinário ou uma viagem de férias, seu pet deve usar uma plaquinha de identificação contendo o nome dele e seu telefone de contato. Outra opção é apostar no microchip.

Agora que seu peludo está devidamente identificado, vamos escolher o método ideal para transportá-lo.

Caixa de transporte

Indicada para gatos e cães de pequeno porte, as caixas de transporte, também conhecidas como kennel, são seguras e evitam qualquer preocupação durante o trajeto. Feitas com material rígido, elas devem ser posicionadas no banco traseiro e ter a alça presa pelo cinto de segurança, assim não há risco que ela fique “sambando” no banco de acordo com as curvas.

Este método é indicado especialmente para os felinos, que odeiam mudanças. Na caixinha, eles se sentem protegidos e percebem menos o remelexo do veículo.

pets no carro_caixa

Veja uma seleção de caixas de transporte e garanta que o seu peludo aproveite o passeio

Cinto de Segurança

Aqui não importa o tamanho: o cinto de segurança é uma ótima opção para os cachorros – desde os pequenos até os grandões. É como se fosse uma guia normal, mas uma das pontas permite que seja afivelada direto no local que prende o cinto do carro. Assim, o animal tem uma certa sensação de liberdade, porém não fica solto no veículo.

É importante ter atenção na hora de escolher esse acessório, pois a guia normal não cumpre a função de segurança e não deve ser presa ao cinto. Além disso, é recomendado que a coleira seja a conhecida como “peitoral”, pois reforça a segurança do cachorrinho.

Se o seu animal é muito grande, além do cinto, você deve providenciar uma grade de proteção. Existem de diversos materiais e formatos. Ela é colocada entre o banco de trás e a parte da frente do carro. Assim, seu cachorrão curioso não vai conseguir colocar a cabeça do seu lado para xeretar se você está dirigindo bem, evitando, assim, motivos para sua distração.

pets no carro_cinto

Encontre o cinto de segurança ideal para o seu cachorro

Cadeirinha

Uma boa opção para cachorros de pequeno porte que não gostam de ficar presos dentro da caixinha. Ela parece uma cestinha, que é fixada com o cinto de segurança e permite que o seu peludo tenha uma “falsa sensação de liberdade”.

Não se esqueça: mesmo dentro da cadeirinha o seu pet precisa estar preso na coleira que é acoplada à cestinha.

Protetor de banco

Para quem transporta os cachorros usando o cinto de segurança, é indicado usar uma capa protetora para o banco. Isso evita que pelos, saliva e outros incidentes possam sujar o banco.

pets no carro protetor

Confira uma seleção de capas protetoras para o banco

Como acostumar os pets com as caixas e itens de transporte?

Nem todo bichinho está acostumado com passeios em segurança, por isso é importante acostumá-los a esta nova rotina para que as saídas sejam um momento de prazer e muita diversão.

Confira algumas dicas para andar com pets no carro tranquilamente:

  1. Comece treinando com o artigo de segurança dentro de casa. Coloque um cobertor macio, o brinquedo preferido e até petiscos. Assim, ele irá associar a caixa, por exemplo, a um lugar gostoso de ficar. Quando ele já se sentir assim, avance para o próximo passo;
  2. Inicie o treino dentro do carro, mas nem pense em ligar o motor. A ideia é que seu animalzinho se familiarize com o ambiente;
  3. Agora que ele está tranquilo, ligue o carro, sem andar, só para ele ouvir o barulho e sentir o movimento leve do motor;
  4. Quando ele estiver completamente confortável nessa situação, inicie passeios curtos, de 3 a 5 minutos. E, então, vá aumentando gradativamente o tempo.

Lembre-se: se o cachorro ou gato der qualquer sinal de stress ou medo, pare e respeite os limites dele. Tente em uma próxima vez.

Cuidados antes de pegar a estrada

Para os trajetos mais longos certifique-se de tomar alguns cuidados para evitar que seu bichinho enjoe ou fique mais estressado durante o percurso:

  • Não dê ração ou qualquer tipo de alimento ao cão quatro horas antes do percurso. Para água a regra deve ser uma hora antes. Em caso de felino, o jejum é de duas horas antes do percurso;
  • De hora em hora, pare o automóvel e desça com o cão para possíveis necessidades fisiológicas. Um pouco de água é necessário para hidratação;
  • Leve acessórios do bicho de estimação para que ele se sinta em casa. Em caso das caixas de transporte, coloque o próprio cobertor do animal como forro para reforçar a ideia da casa;
  • É obrigatório levar a carteira de vacinação e um atestado de trânsito emitido por médico veterinário particular (chamada guia de trânsito);
  • Mantenha a temperatura do carro próxima à temperatura externa. Nada de ar-condicionado na temperatura mínima;
  • Consulte sempre um médico veterinário para saber as recomendações específicas para o seu bichinho.

Agora é chamar a família e curtir um passeio com a trupe completa!

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!