#HistóriasQueMarcam: inspirações do autor do “Neologismos”

A página “Neologismos”, criada por Matheus Rocha, resultou em livro a ser divulgado durante a Bienal do Livro 2018. Saiba tudo sobre as referências literárias do autor.

Histórias Que Marcam - A bienal é aqui

Você deve ter passado por essa fase: depois de se formar na escola, estava perdido, sem saber qual área gostaria de estudar, pensando em fazer desde direito, até medicina. Foi durante essa fase de incertezas que Matheus Rocha, criador da página “Neologismos”, começou a colocar seus sentimentos no papel. Ou melhor, na Internet.

Do Tumblr criado em 2009, para um blog, para uma página no Facebook, para um perfil no Instagram… E ele não para. Depois de reunir quase um milhão de seguidores somados em todas as redes sociais, Matheus também atingiu a marca de três livros publicados: “No meio do caminho tinha um amor”, “Muito amor, por favor: um sentimento em quatro elementos” e “Pressa de ser feliz: crônicas de um ansioso”. O último é seu lançamento mais recente e será divulgado durante a Bienal do Livro 2018.

Histórias Que Marcam - Pressa para ser feliz

Encontre o novo livro do Matheus Rocha no Mercado Livre

Conheça mais sobre os livros preferidos do Matheus Rocha, suas referências literárias e mais detalhes sobre seu trabalho.

#HistóriasQueMarcam: conheça os livros que marcaram a vida de Matheus Rocha, criador do “Neologismos”

Mercado Livre Ideias – Como você criou o “Neologismos?”

Matheus Rocha – Eu criei um Tumblr, no final de 2009, começo de 2010, como uma forma de desabafar o que eu sentia, o que eu estava passando. Com isso, eu comecei a ter muitos seguidores e pessoas que se identificavam com os meus textos. Eu comecei a achar ali talvez uma alternativa de vida.

Eu não sabia muito bem o que eu queria fazer, mas sabia que estava gostando cada vez mais de escrever. Então, comecei a pesquisar a área que eu pudesse trabalhar relacionadas a palavras. Descobri que as minhas duas referências na literatura, que são Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu, eram jornalistas. Fiquei com isso na cabeça e resolvi ingressar na faculdade de Jornalismo.

Comecei a escrever para desabafar, e a coisa foi dando tão certo, que eu me senti um perdido que tinha alguém seguindo, e tenho agora vários seguidores. Não sei onde estamos indo, mas espero que a gente chegue em algum lugar.

Mercado Livre Ideias – O seu texto não é nem poema, nem poesia, nem crônica, ele fica caminhando entre os três. Desde quando você tem afinidade com esse tipo de texto?

Matheus Rocha – Antes de escrever nas redes sociais, eu escrevia muitos poemas e gostava muito de poesia, só que quando eu comecei a escrever nas redes sociais, percebi que a poesia era muito pequena para o tanto de ideias que eu queria dizer, então os textos eram maiores, porque eu sempre queria falar mais. Era como se a poesia não coubesse no tanto de coisa que eu precisava falar. É por isso que eu passo pela poesia, pela crônica, mas eu chamo de texto, porque eu não consigo definir uma forma fixa.

O nome “Neologismos” veio disso. Neologismos significa criação de novas palavras, ou atribuição de novos sentidos às palavras que já existem. Então, essa foi a minha licença poética, porque aqui eu posso fazer tudo e fugir dos julgamentos.

Mercado Livre Ideias – Agora falando sobre literatura. Qual livro mais marcou sua vida?

Matheus Rocha – Tem um livro que eu li quando comecei a gostar mesmo de ler, por volta da quinta série, que se chama “O Mistério da Fábrica de Livros”, do Pedro Bandeira. Ele marcou a minha vida porque mostra todo o processo desde o plantio de uma árvore até a produção do papel e a transformação em um livro. Foi uma coisa que mexeu comigo porque foi como viajar no tempo. Ele planta a sementinha, ela cresce, tem todo o processo até a transformação final, que é um livro.

O outro é “Morangos Mofados“, do Caio Fernando Abreu. Depois que eu cresci foi um dos livros que mais me marcaram porque é a minha maior referência de literatura. É aquela pessoa que eu olho e penso, “se um dia eu for 1% do que o Caio foi, estou feliz”.

Mercado Livre Ideias – Teve algum livro que te incentivou ou deu coragem para seguir o seu caminho como escritor?

Matheus Rocha – O “Grande magia: vida criativa sem medo”, escrito por Elizabeth Gilbert. É um livro que fala sobre ter coragem para viver da sua arte, para mostrar sua arte, porque às vezes nós temos muita vergonha, principalmente quem escreve sobre sentimentos, de demonstrar isso para o mundo.

Mercado Livre Ideias – Qual livro você indica para quem quer seguir a mesma carreira que você? Por quê?

Matheus Rocha – Além do “Grande magia”, eu indico o “Roube como um artista”, do Austin Kleon, porque é um livro curto e direto, que mostra que temos que ser nós mesmos e mostrar o que acreditamos, mesmo que pense que milhões de pessoas já fizeram algo parecido. Ao longo do caminho vamos perceber que milhões de pessoas já fizeram aquilo, mas que ninguém fez do nosso jeito.

Mercado Livre Ideias – Você já tem três livros publicados! De onde veio a ideia de começar a escrever livros? Você sempre teve isso em mente?

Matheus Rocha – A ideia surgiu dos leitores, e depois se tornou um sonho meu. Todo mundo pedia uma coisa física para ler, porque o meu material está só na Internet, mas o livro tem um cheirinho especial, é diferente você ler um livro do que ler uma página na Internet.

Eu nunca tinha pensado em fazer um livro, só que com isso foi nascendo uma vontade e casou que no meio do caminho eu encontrei a minha primeira editora, a Sextante, e nós resolvemos lançar nosso primeiro livro juntos, que chama “No meio do caminho tinha um amor”.

Logo em seguida eles fizeram um convite para lançar meu segundo livro, que foi em colaboração com outros três autores, que é o “Muito amor, por favor: um sentimento em quatro elementos”.

Eu senti que queria levar isso adiante, e que eu queria falar de outras coisas além do amor. O tema que ficou na minha cabeça foi ansiedade. Eu passei o ano de 2017 inteiro escrevendo um livro sobre ansiedade, que chama “A pressa de ser feliz. Crônicas de um ansioso”, que é o livro que eu estou lançando agora, e já estou escrevendo o próximo também.

Mercado Livre Ideias – Por que você quis escrever sobre ansiedade?

Matheus Rocha – Porque eu percebi que existem muitos livros sobre ansiedade, mas com uma visão técnica, mais médica. É como se fosse uma fala fria, não é alguém que está ali sentindo o que um ansioso sente, com coração acelerado, alguém que tem uma noite inteira de insônia, está angustiado. O escritor era sempre uma pessoa que estudou, sabe todas as sinapses, sabe o que se passa no cérebro, mas às vezes falta um pouco de tato para falar sobre o coração ansioso. Então, eu escrevi um livro que, enquanto ansioso, eu gostaria de ler.

Não é só um livro, é mais um encontro, porque eu sabia que tinham pessoas que sentiam as mesmas coisas que eu, mas eu não sabia onde elas estavam. É como dizer que eu sou igual a você, você é igual a mim, e eu te entendo, aqui não tem julgamento entre a gente. É mostrar o que um ansioso sente e passa.

Mercado Livre Ideias – Teve algum outro livro que te influenciou na criação da sua própria obra?

Matheus Rocha – Os livros Ansiedade 1 e 2, do Augusto Cury, me incentivaram porque foram os livros base que eu sempre lia enquanto estava ansioso. E depois deles eu pensei que podia fazer um pouco diferente.

“Quem procura não acha. É preciso estar distraído e não esperando absolutamente nada. Não há nada a ser esperado. Nem desesperado.” – Morangos Mofados, Caio Fernando Abreu.

Histórias Que Marcam - Matheus-Rocha

#HistóriasQueMarcam

Faça como o Matheus e conte mais sobre seus livros preferidos com a hashtag #HistóriasQueMarcam! Aproveite e siga o Neologismos no Facebook, Instagram, Twitter e Tumblr.

A Bienal do Livro é aqui!

Não deixe de participar da nossa primeira Bienal do Livro 2018! O Mercado Livre estará nas quadras H048 e G048, próximo ao Salão de Ideias, entre os dias 3 e 12 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Garanta o seu ingresso e até lá!

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!