O que aprendemos com a Black Friday 2017

Confira as quatro grandes lições da Black Friday 2017 e prepare-se para a próxima edição

Com o comércio eletrônico mais maduro e preparado para a Black Friday, a data se consolidou como a mais importante para o setor, fechando a última edição com um crescimento de 10,3% no faturamento, segundo o Ebit. No Mercado Livre, os resultados foram ainda mais expressivos: as vendas cresceram 186% em relação ao ano anterior.

 
Entre os queridinhos dos consumidores, celulares, eletrodomésticos, móveis e artigos de decoração tiveram destaque. Mas quais são as lições que podemos tirar da Black Friday 2017 para começar o planejamento deste ano?

Invista em promoções mais agressivas nas categorias de maior valor agregado

Ao contrário das edições anteriores, o valor do tíquete médio caiu 3,1%, de R$ 580 para R$ 562, de acordo com dados do Ebit. Entretanto, o volume de pedidos cresceu 14%, de 3,3 milhões para 3,76 milhões. Esse movimento foi um resultado da estratégia adotada pelos vendedores de oferecer descontos mais agressivos nos itens de maior valor agregado.

 
Desta forma, mesmo que o cliente esteja gastando um valor menor por compra, o vendedor aumenta o seu faturamento a partir do alto volume de pedidos.

Aposte em melhorias da experiência de compra no mobile

De acordo com dados do Mercado Livre, em 2017, a maioria dos consumidores (57%) preferiu comprar pelo celular. Esse comportamento exige que os empreendedores preparem suas lojas online para a navegação a partir destes dispositivos.

 
Um site pensado para uma boa experiência no chamado mobile commerce (m-commerce) tende a atingir melhores índices de conversão.

Prepare o seu cliente para as ofertas

Diluir o investimento em publicidade, iniciando a campanha de Black Friday ao menos 60 dias antes do evento pode garantir um melhor desempenho. “No plano de mídia, é importante dividir a verba em três fases: aquecimento, dia ‘D’ e pós. Durante o aquecimento, o vendedor pode preparar seus clientes para as ofertas que realizará na data, informando percentuais de descontos e reforçando sua marca. No dia ‘D’, um percentual mais agressivo de investimento será usado para ativar os itens participantes da ação. A terceira fase é destinada para colher os frutos do Cyber Monday e Natal também, uma espécie de pós-Black Friday”, explica Alexandra Mendonça, gerente do Mercado Livre Publicidade no Brasil.

 
Esse racional permite um uso mais eficiente das verbas de publicidade e um resultado ainda mais expressivo para a data.

Planeje suas campanhas com base no comportamento omnichannel

Durante a Black Friday, o consumidor transita pelas ofertas disponíveis online e as promoções do varejo offline. Utilizando os recursos de geolocalização disponíveis em ferramentas de mídia como o Google Adwords é possível oferecer um desconto melhor para um comprador que está mais próximo da sua loja física, por exemplo.

 
Para não perder oportunidades é importante combinar as estratégias de venda on e offline, direcionando seus investimentos em publicidade para os dois canais.

 
Não se esqueça: quem antecipa o planejamento consegue preços melhores junto aos fornecedores, melhores prazos de entrega e disponibiliza melhores ofertas para o consumidor final. Destaque-se!

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!