O crescimento do big data no e-commerce

Muito se ouve sobre Big Data, mas o que de fato é? Trata-se de um termo usado para descrever o grande volume de dados que as empresas recebem todos os dias, que podem ser estruturados ou não estruturados. Os estruturados são aqueles armazenados em lugares que se pode ver. Por exemplo, uma planilha. Já os não-estruturados são aqueles que não estão organizados de maneira clara.

Independente da quantidade coletada e da forma, o que realmente importa é o que se faz com essas informações e de que maneira elas fornecem insights construtivos para as companhias. É uma tendência crescente e que, apenas no Brasil, a expectativa era que, em 2018, o faturamento com o uso dessa tecnologia chegasse a cerca de US$ 3,2 bilhões.

Como o Big Data pode impactar o meu e-commerce?

Estes dados podem trazer uma visão mais analítica do negócio em aspectos importantes para a condução da estratégia comercial, como:

Conhecer mais o consumidor

Com a coleta de dados, é possível ter um histórico do comportamento do consumidor.
Se a via que ele mais usa para acessar um e-commerce é uma rede social: quais produtos são mais visualizados? Que tipo de anúncio chama mais atenção? Tudo isso é coletado e, dessa forma, o empreendedor consegue se adiantar e, se for preciso, mudar de estratégia comercial ou saber que está no caminho certo.

Segurança

Com a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), este quesito irá ser um ponto de atenção para as empresas na hora de lidar com os dados de maneira mais cuidadosa e sigilosa. As informações serão manuseadas de tal maneira a proteger o consumidor e não deixar que nada seja usado ou coletado sem permissão.

Aumento de vendas (taxas de conversão)

Com base nos dados coletados, é possível direcionar melhor anúncios, ofertas e ferramentas de relacionamento. Com a inteligência proporcionada pelos dados, é possível saber, por exemplo, como fazer uma segmentação dentro do público já estabelecido. Por exemplo, quem vende peça para carros, poderá direcionar uma campanha especificamente aos compradores de itens para veículos importados analisando o histórico de compras.

Assim, se a intenção é aumentar a taxa desse tipo de produto, é possível traçar uma estratégia mais eficaz.

De que maneira aplicar o Big Data à empresa?

Há formas simples de se conseguir informações dos clientes e extrair grandes volumes de dados, por exemplo:

  • Google Analytics: por meio da ferramenta do Google, quem tem um e-commerce pode analisar o fluxo, tempo de visualização e número de visitas únicas;
  • Aplicativos: existem apps que ajudam a se comunicar melhor com o cliente, fazem análise de mercado, auxiliam na gestão de estoque e, até mesmo, analisam o mercado. Eles podem ser boas ferramentas para coletar dados;
  • Enquetes: essas pesquisas rápidas, especialmente em redes sociais, podem extrair grandes resultados. É uma maneira de conhecer melhor o consumidor e engajá-lo por meio de uma participação que não irá demorar e que levará informações preciosas.

A tecnologia está avançando e é uma grande um aliada do e-commerce. O Big Data traz informações essenciais para o negócio, direcionando-o para caminhos em que possamos conhecer melhor o comportamento do consumidor final.

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!