Variedade: as diversas possibilidades na hora de pagar

O sucesso do varejo está ligado à experiência do consumidor ao longo da jornada da compra, seja em loja virtual ou física. O objetivo é deixar este caminho o mais fácil possível para o cliente e isso inclui um momento de extrema importância: a conclusão da compra.

Para que se atenda ao maior número de perfis possíveis, é preciso ofertar uma variedade de formas de pagamento, das mais modernas até as mais convencionais. É importante ressaltar que nenhum exclui o outro, muito pelo contrário. De acordo com a necessidade do cliente, oferecer diferentes meios de pagamento facilita na hora do checkout.

Quando se trata de meios de pagamento, é necessário se adaptar para acompanhar o público e a concorrência. Aqui, no Brasil, pesquisas recentes mostram que cerca de 55 milhões de brasileiros não têm vínculos com bancos. Por isso, é preciso diversificar as maneiras como o comprador pode pagar, mas sem abrir mão dos modos mais comuns.

Meios alternativos de pagamento

Os meios de pagamento vêm acompanhando os avanços tecnológicos. O público que está cada vez mais conectado realiza transações online ou paga por meio de códigos: esse tipo de cliente adere às opções que usam a tecnologia em sua essência.

QR Code

Estabelecimentos, hoje em dia, já aceitam pagamentos feitos via QR Code (sigla em inglês para o termo quick responder code). O código pode ser lido por qualquer dispositivo móvel com uma câmera, conectado à Internet e com um aplicativo que leia o QR Code. Pagar sem ter que pegar em dinheiro ou cartão pode ser bom quando o funcionamento da tecnologia é perfeito.

PicPay

Esse é um dos meios mais novos do mercado. É um aplicativo para celular e que funciona como se fosse uma carteira digital. Ele permite fazer compras via smartphone com cartão de crédito ou valor de transferência. O usuário pode até mesmo parcelar valores. Embora pareça prático – e de fato é -, é preciso tomar cuidado com as desvantagens que o app oferece, como o risco de fraudes.

Entre os casos de fraudes, é possível citar a seguinte situação: com a premissa de multiplicar o dinheiro dos demais usuários, muitos perfis falsos surgiram e se passaram por marcas famosas, o que acabou causando perdas de dinheiro para quem usa o PicPay de maneira correta. Além disso, há menos segurança ao realizar essas transações oferecidas pelo PicPay, já que não se tem o mesmo suporte de um banco.

Pulseira magnética

As pulseiras também são um meio moderno de pagar pelas compras. Nelas, o processo ocorre por meio do NFC (sigla para Near Field Communication), ou seja, a comunicação entre a pulseira e a máquina de cartão ocorre por proximidade. É possível pagar no débito ou no crédito.

Basta aproximar a pulseira de uma leitora – com a conectividade NFC – e pagar pela compra: o processo é bem simples. O cliente que deseja usar esta opção precisa verificar com o banco, já que são as instituições bancárias que comercializam a pulseira e fornecem esta forma como um meio de pagamento.

Meios tradicionais

Mas nem só de modernidade vivem os consumidores e empreendedores. Muitos ainda preferem as vias mais conhecidas. Elas não apresentam tanta tecnologia, mas suprem as necessidades e não irão desaparecer tão cedo. Pelo contrário, a tendência é que cada uma evolua dentro de sua modalidade.

Máquina de cartão

A mais usada pelos consumidores. A praticidade da máquina de cartão facilita muito a vida de vendedores e clientes. Não tem segredo e nem burocracia: a transação é imediata, seja no débito ou no crédito. Os índices de falha nesse tipo de método são baixos e seguros. O banco consegue rastrear a operação e estornar o valor caso seja necessário.

Boleto

Entre os principais meios de pagamento tradicionais está o boleto bancário. A sua origem é dos anos 90 e pode ser utilizado por qualquer pessoa, mesmo que ela não tenha conta em banco. É um opção segura: o comprador pode imprimir e pagar em um banco, por exemplo. Mas as taxas de conversões com essa maneira de pagar podem ser baixas. O cliente pode esquecer e o boleto passar da data de vencimento. Além disso, o pagamento demora para cair.

Transferência bancária

A transferência bancária é outro método que se tornou comum, especialmente no e-commerce. Inclusive, algumas lojas já se conectam automaticamente a determinados bancos, o que facilita na hora de pagar já que o cliente é redirecionado ao Internet Banking da instituição bancária. É muito prático e a confirmação do pagamento acontece na hora.

Segundo o estudo “O brasileiro e sua relação com o dinheiro”, conduzido pelo Banco Central e divulgado em 2018, o dinheiro continua como o meio favorito dos brasileiros na hora de pagar por compras, com 96% dos resultados. Em seguida, está o cartão de débito (52%) e o cartão de crédito ocupa a terceira posição (46%).

Para quem trabalha com varejo, seja em loja física ou e-commerce, o segredo está em ofertar o máximo de opções possíveis para que os consumidores não desistam da compra e nem se sintam limitados pelos meios de pagamento. Nenhum meio exclui o outro, na verdade, elas podem se complementar em uma estratégia comercial para que a conclusão de uma compra se torne mais eficiente e ofereça diversos meios de pagamento, deixando a decisão nas mãos do cliente.

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!