Assistente de voz e e-commerce: qual o futuro do consumo

Recurso promete facilitar a jornada do consumidor, deixando-a mais ágil já que é possível navegar online de maneira mais prática

O assistente de voz já é uma realidade! O recurso permite dar comandos por áudio conduzidos por meio de inteligência artificial, como Siri (Apple) ou Google Assistente para executar ações, como fazer buscas na Internet. E essa dinâmica promete impactar bastante o mercado de comércio eletrônico, introduzindo o conceito de voice commerce (em tradução livre, comércio por voz).

O que é voice commerce?

De maneira resumida, este é o tipo de comércio eletrônico no qual os consumidores usam a voz para realizar a compra. Ou seja, ao invés de clicar no botão de “comprar” e realizar o checkout o cliente faz toda a pesquisa, navegação e conclui a negociação dando comandos de voz a um assistente virtual.

Pode parecer algo incomum, no entanto, pesquisas apontam que se trata de uma prática crescente e o mercado precisa prestar atenção. Segundo dados do Hubspot coletados em 2018:

  • 19% das pessoas usaram a Siri, no mínimo, uma vez por dia;
  • 41% dos participantes passaram a usar pesquisa por voz no ano passado;
  • 43% dos entrevistados declararam que usam a pesquisa por voz, já que é mais rápido do que acessar um site ou aplicativo;
  • 21% dos usuários não gostam de digitar no celular.

Outra pesquisa, da ComScore, prevê que em um ano, 50% das buscas online serão feitas pela voz. Como a tendência é que esse tipo de busca aumente, o voice commerce promete emplacar.

Benefícios para o cliente

Sem precisar escrever o que precisa procurar, a jornada do consumidor pode se tornar ainda mais fácil – e rápida – por conta das seguintes vantagens que o comando por voz traz, as chances de comprar mais aumentam, já que os clientes irão usufruir de:

  • Mais velocidade para comprar uma vez que o comando de voz permite navegar com mais facilidade;
  • Inclusão: com a possibilidade conduzir ações por meio da voz, o recurso permite que pessoas com algumas deficiências que as impossibilita de usar o teclado, possam fazer as suas compras com menos dificuldade.

De que maneira se preparar

Os empreendedores e administradores de lojas virtuais precisarão se adaptar para educar os clientes e ensinar de que maneira eles irão usufruir desta forma nova de fazer compras online. Isso pode acontecer por meio de publicação de conteúdos informativos, vídeos, imagens ou até mesmo por e-mail marketing.

Já que, na forma de acesso, é como se o usuário estivesse agindo como de costume. Não muda a estrutura do site, por exemplo. A diferença é que, na hora de percorrer a loja, o caminho será feito por um assistente com tecnologia de Inteligência Artificial – que segue a voz do consumidor. Mas para mostrar que a loja segue as tendências, vale colocar um aviso, em destaque, ou um banner e comunicar algo como: Aqui, você pode comprar usando um assistente de voz.

Para ter essa tecnologia na sua loja virtual, você precisará dos serviços um desenvolvedor ou de uma empresa especializada em TI. Pois, será necessário instalar um a API (Interface de Programação de Aplicações) que permita a troca de informações entre dois ou mais sistemas em seu site.

No mercado, existem várias plataformas que que disponibilizam seus códigos, como é o caso do Google, que funciona assim:

  • A plataforma disponibiliza um pacote: um kit de desenvolvimento de software com ferramentas que possibilitam a integração do assistente pessoal de voz do Google com outras plataformas.
  • É possível seguir o passo a passo que está em inglês e prosseguir com a configuração.

Não se esqueça de contratar profissionais especializados, pois a instalação errada da ferramenta pode danificar o funcionamento do seu e-commerce.

A tecnologia vem para somar e se torna mais um meio possível para que comprar pela Internet se torne uma atividade cada vez mais confortável, rápida e ágil. Os recursos tecnológicos, quando bem usados, atuam como grandes aliados.

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!