Inovação: o que podemos aprender com empresas disruptivas

Elas entenderam que para sobreviver, e lucrar, no ambiente digital é preciso se adaptar às mudanças na velocidade da internet e criar oportunidades de inovação

Na era digital, o mercado entrou em um processo de transformação contínua e permanente. Nesse contexto, apoiar sua estratégia na lógica do mundo industrial – linear, previsível e lenta – não faz mais sentido. Algumas empresas e profissionais já entenderam que precisam adaptar não apenas o seu planejamento, mas o DNA do seu negócio ao ambiente para acompanhar as mudanças e inovar.

De acordo com Leandro Herrera, CEO e fundador da Tera, o empreendedor precisa entender que “como consequência da transformação do meio, os negócios precisam também mudar sua composição básica – ou seja, a forma como se organizam, as expertises que dominam, a velocidade e a forma como entregam valor, para estarem aptos a sobreviver neste ambiente. É preciso mudar internamente, e não apenas implementar ações isoladas, para ver resultados a longo prazo”.

Herrera defende que empresas preparadas para liderar as mudanças do futuro são um “organismo vivo” e constroem seus mecanismos de sobrevivência a partir de quatro elementos básicos:

Ciência de dados

Pela análise dos dados fornecida pelo seu cliente a partir da navegação em sua loja é possível traçar o seu comportamento de consumo e estabelecer padrões de audiência. Com esses perfis bem definidos, você pode melhorar a experiência do seu consumidor oferecendo para ele produtos que fazem sentido com base no histórico de compras e fazer uma gestão mais inteligente do seu investimento em anúncios e, também, do seu estoque. Afinal, você saberá exatamente quem compra na sua loja e quanto aquele grupo de clientes consome.

Design

Para Herrera, as empresas disruptivas “entendem que o design, em sua forma, função e estética, é fundamental para gerar valor a longo prazo para as marcas”. Ter um site visualmente bonito, por exemplo, não é mais suficiente. Você precisa pensar na jornada do seu consumidor do momento que ele tem o desejo de comprar um produto oferecido por você até o pós-venda. Transformando essa experiência em um momento mágico de satisfação e confiança.

Orientação ao crescimento

Em um mundo hiperconectado, não se pode desprezar a colaboração como forma de inovação. Se você quer crescer é preciso fazer parcerias. Ouvir o seu consumidor e oferecer a ele soluções adequadas às suas necessidades.

Tecnologia Adaptativa

Por fim, Leandro Herrera, aposta no uso da tecnologia a favor da experiência do cliente. Ele acredita que “as empresas evoluem constantemente, se adaptando ao meio e as mudanças nos padrões de comportamento e culturais à medida que a tecnologia evolui”. Se o seu cliente quer respostas rápidas, porque não investir no atendimento usando bots?

Vale lembrar que inovação não é sinônimo de projetos milionários. Inovar é responder às insatisfações do consumidor com soluções focadas na conveniência do usuário com preços mais baixos e adequados às realidades de ambos (clientes e empreendedores).

Ainda não faz parte do Mercado Livre? Cadastre-se!